Amigos e família de João Victor vão fazer nova manifestação em frente ao Habib’s

João Victor sofreu parada cardiorrespiratória (Foto: Arquivo pessoal)

Morte de adolescente de 13 anos, perseguido e arrastado por funcionários do fast-food da zona norte de SP, será relembrada em protesto que vai ocorrer antes da exumação do corpo

João Victor sofreu parada cardiorrespiratória (Foto: Arquivo pessoal)

Está marcado para o próximo sábado (1º/04), às 17h, mais um ato que cobra justiça pela morte do menino João Victor Souza de Carvalho, 13 anos, que morreu em frente a unidade da rede de fast-food Habib’s da Vila Nova Cachoeirinha, zona norte de São Paulo, no dia 26 de fevereiro.

A manifestação com parentes, amigos e movimentos contra o genocídio da população negra está marcada para acontecer em frente à unidade da lanchonete da avenida Itaberaba, 5015, onde o menino morreu.

Gravações de câmeras de segurança da região mostram que, antes de morrer, João Victor foi perseguido e arrastado por dois funcionários da lanchonete. As câmeras também mostram que o adolescente havia se desentendido com um dos funcionários.

De acordo com laudo pericial feito pelo IML (Instituto Médico Legal) no corpo do adolescente, a causa da morte foi o uso de drogas. A versão, no entanto, é contestada pela família, que solicitou que fossem feitos novos exames no garoto. O pedido de exumação foi aceito pela Justiça e vai acontecer na próxima segunda-feira (03/04), às 7h.

Para o integrante da União dos Coletivos Pan Africanistas, um dos movimentos organizadores do ato, Alaru, o assunto “esfriou, mas nós não esquecemos”. O ativista afirmou que uma das pautas do ato é contestar o laudo pericial.

“Não aceitamos o resultado do laudo. Nós reivindicamos que outro legista apresente um novo laudo. Também reivindicamos as imagens que o Habib’s não fornece”, disse Alaru.

O caso está sendo investigado pela equipe da Polícia Civil do 28º DP (Distrito Policial), da Freguesia do Ó.

Comentários

Comentários

Enviar um comentário