Contato

Ponte é um canal de informações sobre Segurança Pública, Justiça e Direitos Humanos que surgiu da convicção de um grupo de jornalistas de que jornalismo de qualidalde sob o prisma dos direitos humanos é capaz de ajudar na construção de um mundo mais justo; de que é preciso desnudar as razões pelas quais a população tem medo da tropa policial; revelar os fatos que levam os pobres e negros a serem vítimas de um judiciário injusto e lento, e os caminhos que permitem que o sistema prisional invista bilhões de reais para causar dor e sofrimento aos apenados.

Queremos dar visibilidade a questões que passaram a ser omitidas pela mídia comercial, contar histórias que não estão no dia-a-dia, levar à sociedade informações sobre o que está silenciado, encoberto e sujo. Histórias como a de José, 17 anos, negro, preso na própria casa por um crime que não cometeu e cujas provas que atestavam sua inocência foram ignoradas pela polícia, pela promotoria e pelo tribunal. Ou a de mais um José, 20 anos, que segundo a polícia, atirou contra a própria cabeça mesmo estando algemado com as mãos para trás. E de tantos outros Josés, Amarildos e Claudias.

Pretendemos, via um jornalismo investigativo e livre de compromissos econômicos, agendar o debate público, levar o Estado e a sociedade a buscar soluções para a desigualdade, a injustiça e a opressão.

Para isso, o canal Ponte une jornalismo, opiniões de acadêmicos e especialistas com as ferramentas das novas tecnologias e da nova sociedade. Adotamos um modelo de produção jornalística baseado na formação de um coletivo de profissionais, unidos em torno de um ideal, num projeto sem fins lucrativos, sem nenhum tipo de filiação partidária e aberto ao diálogo e à colaboração da sociedade.

A Ponte nasceu com o apoio institucional da Agência Pública de jornalismo investigativo, uma organização sem fins lucrativos pioneira no Brasil.