Filho do Pelé pode ser preso a qualquer momento

Rei Pelé e Edinho - Foto: Divulgação/Santos FC

Condenado por lavagem de dinheiro proveniente do tráfico de drogas, Edinho deve voltar à prisão

Rei Pelé e Edinho – Foto: Divulgação/Santos FC

Edson Cholbi do Nascimento, o Edinho, filho do rei Pelé e ex-goleiro do Santos, condenado em primeira instância a 33 anos e quatro meses por crime de lavagem de dinheiro proveniente do tráfico de drogas, teve a pena reduzida para 12 anos e 10 meses.

A decisão foi tomada na última quinta-feira (23/02) pela 14ª Câmara do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, ao julgar a apelação impetrada pelo advogado Eugênio Malavasi, defensor de Edinho.

Os desembargadores recomendaram a prisão do filho de Pelé em regime fechado, como determina o STF (Supremo Tribunal Federal) quando o réu é condenado em segunda instância. Edinho pode ser detido a qualquer momento.

Segundo Malavasi, se a Justiça expedir mandado de prisão contra Edinho, ele apresentará o jogador à polícia.

O advogado disse que ainda cabe recursos e que entrará com pedido de habeas corpus para garantir que seu cliente possa apelar em liberdade.

Edinho havia sido condenado a 33 anos e quatro meses pela Justiça de Praia Grande. Em 18 de novembro de 2014, ele foi preso porque a Justiça não aceitou os recursos apresentados pela defesa.

Porém, no dia seguinte, a Justiça revogou a prisão por entender que era precoce a determinação do início do cumprimento da pena.

Em julho do mesmo ano, Edinho permaneceu uma semana preso porque não apresentou seu passaporte à Justiça, condição imposta para que respondesse ao processo em liberdade.

Eugênio Malavasi afirmou que conversou ontem por telefone com Edinho e contou que ele está apreensivo com uma possível prisão.

O filho de Pelé havia assinado contrato como treinador do time de futebol Tricordiano, do Sul de Minas Gerais. Ele já havia dirigido as equipes do Mogi Mirim e do Água Santa.

Comentários

Comentários

Enviar um comentário