Polícia busca suspeitos de matar vendedor em estação de metrô de SP

Alípio Rogério Belo dos Santos, de 26 anos, e Ricardo Martins do Nascimento, de 21, suspeitos de matarem Luiz Carlos Ruas, de 54, em estação de metrô - Foto: Divulgação

Identificados, suspeitos de espancar até a morte vendedor ambulante em estação de metrô de São Paulo são procurados pela Polícia Civil no litoral paulista

img_2207
Alípio Rogério Belo dos Santos, de 26 anos, e Ricardo Martins do Nascimento, de 21, suspeitos de matarem Luiz Carlos Ruas, de 54, em estação de metrô. Foto: Divulgação

A Polícia Civil realiza buscas no litoral de São Paulo para localizar Alípio Rogério Belo dos Santos, de 26 anos, e seu primo Ricardo Martins do Nascimento, de 21, suspeitos de espancarem até a morte o vendedor ambulante Luiz Carlos Ruas, de 54 anos, na noite do último domingo (25), dentro da estação de metrô Pedro II, na região central da cidade de São Paulo.

Segundo o delegado do Decade (divisão de capturas) Oswaldo Gonçalves, diversas diligências têm sido realizadas na busca pela dupla. O delegado afirmou à Ponte Jornalismo não esperar nada do advogado dos suspeitos, que chegou a afirmar, em depoimento à polícia, que Santos e Nascimento se entregariam hoje. A defesa alegou que os suspeitos só vão se entregar caso a prisão preventiva seja revista.

Para o advogado que assessora a família de Ruas, Augusto Arruda Botelho, o espancamento que matou o homem negro foi um caso de homofobia, já que minutos antes a dupla perseguiu um gay e uma travesti nos arredores da estação.

“Eu tenho bastante cuidado ao fazer acusações através de imagens. Foi uma agressão absolutamente descabida, covarde. Segundo relato da investigação, um crime com caráter homofóbico. Um crime que tem que ser severamente punido”, disse à reportagem.

Comentários

Comentários

Enviar um comentário