Os presos na Grande São Paulo: jovens, negros e sem advogado

Pesquisa com detidos provisoriamente feita pela Defensoria Pública revela também que 79% dos homens e 63% das mulheres trabalhavam e que em torno de um terço foi torturado no momento da prisão