Vídeo de movimento de jornalistas propõe reflexão sobre o Dia da Mulher

Campanha #jornalistascontraoassédio discute a igualdade de gênero e o combate aos assédios, dentro e fora do âmbito profissional

“Menos flores, mais respeito. 8 de março é todo dia”. Com esse mote, a campanha #jornalistascontraoassédio lança mais um vídeo sobre igualdade de gênero e contra o preconceito e assédios, dentro e fora do âmbito profissional.

A data para a exibição oficial do vídeo não foi escolhida por acaso. “Estamos habituadas a associar o Dia da Mulher a presentes e palavras que duram o dia 8 de março, mas o dia a dia da profissão tem mostrado que a conscientização sobre igualdade de oportunidades, independente de gênero, precisa ser permanente. Nada mais simbólico, portanto, que ouvir mulheres jornalistas sobre o que elas querem dentro desse contexto tão mais amplo”, afirma Janaina Garcia, uma das fundadoras da campanha.

O movimento #jornalistascontraoassédio começou em junho de 2016, após a demissão de uma jornalista do portal IG que denunciou assédio sexual que havia sofrido do cantor Biel, em São Paulo. Um grupo de jornalistas se uniu e lançou um manifesto e um vídeo contra o assédio dentro e fora das redações e das assessorias de imprensa.

O vídeo tem a participação das jornalistas Tatiana Vasconcellos, Marina Rossi Fernandes, Tatiana Merlino e Cinthia Gomes, e da estagiária de jornalismo Beatriz Sanz. O roteiro foi feito pela campanha, com produção da Terruá Filmes, edição de Pablo Soares e Paula Rodrigues, e apoio da Tawil Comunicação. Todos colaboraram voluntariamente.

“Esse novo vídeo foi feito por jornalistas, mas não apenas para jornalistas. As questões abordadas estão presentes na rotina das mulheres em todos os ambientes profissionais.  A disparidade salarial entre gêneros, por exemplo, ainda é um grande desafio: estima-se que mulheres recebam 25% a menos do que colegas homens em condições semelhantes de trabalho. Uma realidade distante de ser mudada. O respeito à maternidade e a compreensão de que isso não torna uma mulher menos competente e capaz é outro tema urgente a ser debatido. O Dia da Mulher é uma data emblemática para lembrarmos o longo caminho a ser percorrido em busca de direitos básicos e oportunidades iguais “, diz Thaís Nunes, uma das fundadoras da campanha.

Ao longo do dia, a campanha também promoverá tuítes usando as hashtags #menosfloresmaisrespeito e #jornalistascontraoassédio. O lançamento do vídeo será no bar Bebo Sim, na zona oeste de São Paulo.

Serviço:

Lançamento do segundo vídeo da campanha “Jornalistas contra o Assédio”

Data e horário: 08/03/2017, às 20h

Local: Bar Bebo Sim

Endereço: Av. Professor Alfonso Bovero, 1107 — Perdizes — São Paulo / SP

Foto: Reprodução/Jornalistas contra o assédio

Comentários

Comentários

Enviar um comentário